Porque devemos batizar? (perguntas e respostas)

1. O batismo não é apenas um pedido ou sugestão, mas uma ordenança sacramental

A Bíblia diz que o batismo é uma ordenança clara de Jesus para todo aquele que n’Ele crê:

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo”
(Mateus 28.19)

2. O batismo deve ser considerado como um selo de fé

O batismo deve ser visto como um selo de justiça, obediência e fé (evidente), como determinam as palavras finais de Jesus que se encontram registradas no evangelho de Marcos e também pelo Apostolo Paulo em 1 Coríntios:

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado”
(Marcos 16.15,16)

“Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.”
(1 Coríntios 12:13)

3. Porque a maioria das igrejas evangélicas não batizam crianças

Pelo simples fato de que é necessário crer primeiro e então se batizar (Marcos 16.15,16).

No caso de crianças algumas igrejas realizam a consagração dos filhos (ao Senhor), que é uma oração realizada pelo pastor diante da congregação. Já igrejas como algumas Presbiteriana e Católica (que batizam crianças) pensam diferente.

4. A circuncisão e o batismo

No Antigo Testamento, os judeus tinham como selo de sua fé a circuncisão; no Novo Testamento a circuncisão foi suprimida, sendo vista simbolicamente no batismo (no sepultamento com Cristo), veja o que diz o texto em Colossenses:

“Nele também fostes circuncidados, não por intermédio de mãos, mas no despojamento do corpo da carne, que é a circuncisão de Cristo; tendo sido sepultados juntamente com ele no batismo, no qual igualmente fostes ressuscitados pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos”
(Colossenses 2.11,12)

Hoje, esta circuncisão acontece no coração (Romanos 2.28,29), no entanto Paulo também a relaciona com o sepultamento em Cristo, não como aliança mas como uma ação simbólica de morte e ressurreição em Cristo.

5. O batismo e a Salvação — Quem não for batizado não será salvo?

O batismo não salva ninguém.

Jesus disse que quem crer (e for batizado por crer) será salvo e quem não crer será condenado; note que ele não disse “quem não for batizado será condenado”, mas sim “quem não crer”.

O batismo segue a fé que nos leva à salvação, mas ele em si não é um meio de salvação.

Um exemplo que temos é do ladrão que foi crucificado com Cristo e a quem Jesus disse que estaria com Ele ainda aquele dia no paraíso (Lucas 23.39 a 43); ele somente creu e nem pôde ser batizado, mas não deixou de ser salvo por isto.

O batismo, portanto, não salva, mas nem por isso deixa de ser importante e necessário. Aquele ladrão não tinha condições de passar pelo batismo, mas alguém que crê deve obedecer à ordenança de Cristo e ser batizado.

Podemos dizer que o batismo é parte do processo de salvação, mas não que ele em si salve alguém; o apóstolo Pedro escreveu o seguinte acerca do batismo:

“não sendo a remoção da imundícia da carne, mas a indagação de uma boa consciência para com Deus, por meio de Jesus Cristo”
(1 Pedro 3.21)

O batismo, é o nosso testemunho (publico) da identificação com Cristo; ele revela não apenas que eu tenho fé, mas que tipo de fé eu tenho. Veja o que as Escrituras dizem:

“Ou, porventura, ignorais que todos os que fomos batizados em Cristo Jesus, fomos batizados na sua morte? Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos para a glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida”
(Romanos 6.3,4)

Quando imergimos alguém na água, estamos simbolicamente declarando que esta pessoa foi sepultada com Jesus, e ao levantarmos esta pessoa das águas, estamos reconhecendo que ela já ressuscitou com Cristo para viver uma nova vida.

6. Quem pode se batizar?

A resposta mais simples é: Todo aquele que se arrepende e se identifica pela fé no sacrifício de Cristo na cruz.
(Não quero entrar no mérito e julgar as pessoas que possuem pecados cativos ou vícios podem ou não se batizar, por isso busquei simplificar ao máximo essa resposta)

7. Depois de ter reconhecido por fé a obra de Cristo, quando a pessoa passa a estar apta para o batismo? E quanto tempo ela tem que ter de vida cristã para poder se batizar?

Em Atos 8.30 a 39, lemos acerca do primeiro batismo cristão apresentado em maiores detalhes na Bíblia. Neste texto, temos um modelo para a forma de batismo, e ali vemos que já durante a evangelização o batismo era ensinado aos novos convertidos, o que nos faz saber que ninguém deve demorar para se batizar após ter feito sua decisão de servir a Jesus.

Além disso, podemos observar qual é o critério para que alguém se batize; quando o etíope pergunta:

“Eis aqui água, que impede que eu seja batizado?” a resposta de Felipe vem trazendo luz sobre o requisito básico para o batismo: “É lícito, se crês de todo coração”
(Atos 8.36,37)

Ou seja, quando a pessoa foi esclarecida sobre a obra redentora de Jesus Cristo, e crê de todo o coração (sem dúvida acerca disto), ela está pronta para ser batizada.

8. Como se batiza?

A bíblia não é clara com relação a profundidade de água, por conta disso, foram criados pelo menos 4 formas de se batizar:

  • Imersão — Onde o batizando entra na água por completo, dos pés a cabeça;
  • Aspersão — Onde a água é borrifada no batizando;
  • Afusão — Onde a água é derramada na cabeça do batizando.
  • Ablução — Lavagem do corpo ou de parte dele. (mais usado em seitas)

Qual é a correta?

A Bíblia não diz, mas em todo caso a mais aceita é o batismo por imersão, pelo fato da palavra “baptismos” no grego significa: “imergir; mergulhar; colocar para dentro de”. Uma outra fonte (antiga) aceitável é a Didaquê, um livro escrito no primeiro século com instruções apostólicas, no livro ele fala tanto da imersão quanto da afusão (indico a leitura – Clique AQUI para ler).

9. Onde se Batizar?

Não há lugar específico para o batismo. Normalmente ele é ministrado em um batistério, dentro da igreja, mas ele também pode ser feito em rios, piscinas, lagos ou onde houver água suficiente.

10. Quem pode Batizar?

Além da água, é necessário alguém que ministre o batismo ao novo-convertido, uma vez que não existe auto-batismo na Bíblia. E quem pode batizar? Só o pastor? Não!

A ordenança de Jesus é clara:

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo”
(Mateus 28.19)

Jesus mandou fazer discípulos e depois batizá-los. A ordem já subentende que quem faz o discípulo tem autoridade para batizá-lo.

Felipe era apenas um diácono, fazendo o trabalho de evangelista; não era o pastor de igreja nenhuma, e batizou!

Paulo disse aos coríntios que não havia batizado quase ninguém entre eles; entendemos que mesmo se tratando de seus filhos na fé, ele provavelmente tenha passado esta tarefa a outros cooperadores, que não eram pastores. Mas nos dias de hoje (por questão de ordem) o batismo é costumeiramente realizado pelo pastor local.

11. O batismo deve ser ministrado em nome de Jesus ou em nome do Pai, Filho e Espírito Santo?

Como você pode notar a bíblia no dá referencia para ambos:

“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;”
(Mateus 28.19)

“Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para a remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo”
(Atos 2.38) Ou 8.16/10.38/19.5

Para muitas igrejas, as palavras de Mateus 28.19 (“em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo”) é a fórmula a ser seguida no batismo.

Vemos nisto um princípio espiritual, mostrando a Trindade envolvida no batismo, mas a forma como os apóstolos obedeceram esta ordem nos dá a entender que eles não viram nas palavras de Jesus uma fórmula a ser repetida.

Então, o que é correto? Qual a solução?

A maneira mais simples de descomplicar esse empasse é entender que o nome de Jesus representa a Trindade na terra:

“E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra”
(Mateus 28:18)

Logo em seguida ele diz:

“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”
(Mateus 28:19)

Logo, subtende-se que Ele estava falando dele mesmo, afinal “Pai” não é nome, é um título que indica uma posição; “Filho” também não é nome, é um título que indica uma posição.

Alguns alegam que batizar só em nome de Jesus é negar a Trindade, mas para os apóstolos era sinônimo de obediência à comissão de Cristo. Veja bem, quando uma pessoa é salva, é salva pelo nome de Jesus (Atos 4.12), mas não quer dizer que o Pai e o Espírito Santo não estejam envolvidos nisto. Da mesma forma, quando impomos as mãos nos enfermos (Marcos 16.18), fazemos isto em nome de Jesus. Quando oramos, fazemos isto em nome de Jesus (João 16.23,24). Ou seja, por trás do nome de Jesus estão o Pai, Filho e Espírito Santo. Então, quando batizamos “em nome de Jesus”, estamos batizando no nome que representa a Trindade (o nome que tem autoridade — Mateus 28.18). Contudo ambas as formas são corretas.